MÉTODO MONTESSORI

Maria Montessori (Itália, 1870 -1952) foi a primeira mulher a se formar em Medicina em seu país, e foi também pioneira na área da Pedagogia. Particularmente interessada nos estudos do médico francês Édouard Séguin, um dos desbravadores dos mecanismos do aprendizado infantil, criou sua filosofia e seu método com o objetivo de desenvolver o potencial criativo desde a primeira infância, associando-o à vontade de aprender que existe em cada um de nós.

“O potencial para aprender está em cada um de nós”.
(Maria Montessori)

MÉTODO MONTESSORI: educação, vida e educação para a vida.
Especialmente voltado para a Educação Infantil, o Método Montessori tem como principais objetivos as atividades motoras e sensoriais da criança, num trabalho individual que abrange também o aspecto da sociabilização. Partindo do concreto para o abstrato, está baseado no fato de que as crianças aprendem melhor pela experiência direta de procura e descoberta do que pela imposição do conhecimento.
Para Montessori, o espírito da criança se forma a partir de estímulos externos que precisam ser determinados. Ela incentiva a liberdade com responsabilidade. Em seu método de ensino a criança é livre, mas livre apenas para escolher os objetos sobre os quais possa agir. Por isso, Montessori criou materiais didáticos simples e muito atraentes, projetados especialmente para provocar o raciocínio e auxiliar em todo tipo de aprendizado, do sistema decimal à estrutura da linguagem, tornando todo o processo muito mais rico e interessante.
Montessori, assim como Piaget, acredita que a criança não é um papel em branco. Respeita as suas experiências prévias, e a partir delas, pode-se construir e ampliar o conhecimento.
Os objetivos individuais que o método propõe são fazer com que a criança encontre um lugar no mundo, desenvolva um trabalho gratificante e nutra paz e densidade interiores, para ter capacidade de amar. Esses são os fundamentos de qualquer comunidade pacífica, formada por indivíduos independentes e responsáveis.
Neste contexto, o papel do educador, que Montessori chama de facilitador, é criar condições para que a criança atinja essas metas e desenvolva sua personalidade integral por intermédio do trabalho, do jogo, de atividades prazerosas e da formação artística e social.
Dentro do método Montessori não se faz comparações entre as crianças. Respeita-se o ritmo de cada uma, procurando desenvolver talentos e habilidades.

No Método Montessori, a escola não é apenas um lugar de instrução, mas também de educação de vida e de educação para a vida.

REVISTA VIVER
Mente & Cérebro
Coleção Memória da Pedagogia